Páginas

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Jingle - Marina Silva Presidente 40 - Viva o povo brasileiro



(de Teo e Beto Caju)

Há um mês, o Brasil perdeu Eduardo Campos!

Há um mês, o Brasil perdeu Eduardo Campos, uma liderança jovem, propositiva e vigorosa em defesa do desenvolvimento econômico e social. Sua candidatura à Presidência expressava a esperança de uma desejada renovação no quadro político brasileiro.

Mas a força do político residia, antes de tudo, no homem amoroso, devotado à mulher e aos filhos. O jogo bruto da política não o impedia de ser gentil até com os adversários, buscando o diálogo e o debate respeitoso de ideias.
Nos 10 meses que convivemos de forma muito próxima na condução do projeto que busca unir o Brasil, aprendi a respeitá-lo, a admirá-lo e a confiar em suas atitudes e seus ideais. Com a responsabilidade de dar continuidade ao seu legado, prestamos hoje mais uma homenagem a ele e aos que perderam a vida naquele trágico acidente de 13 de agosto. E assim como disse Eduardo, não vamos desistir do Brasil.
Marina Silva

PSB de Itapetinga, é o único partido no município com candidatos originários de legenda própria.


















VOTE NOS DEPUTADOS  DE MARINA 
DEP. FEDERAL: CAPITÃO TADEU – 4010 
E DEP. ESTADUAL PASTOR MANASSÉS  - 40190

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Pesquisa CNT: Aécio perde terreno e Dilma e Marina se isolam

Nova pesquisa CNT/MDA para a eleição presidencial. Aécio despenca ainda mais e Dilma e Marina se isolam na ponta. Números foram divulgados nesta quarta-feira

dilma marina aécio pesquisa presidente
Marina Silva confirma tendência de crescimento e se aproxima de Dilma. Aécio Neves se distancia do 2º turno (Imagem: Pragmatismo Político)
A presidente Dilma Rousseff (PT) lidera a corrida presidencial, com 34,2% das intenções de voto, aponta pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) na manhã desta quarta-feira 27, realizada pelo instituto MDA. Os números do levantamento são muito semelhantes aos que foram divulgados ontem, pelo Ibope.
A ex-senadora Marina Silva, candidata pelo PSB, alcançou 28,2% da preferência do eleitorado e assumiu a segunda posição no lugar de Aécio Neves, do PSDB, com 12 pontos de vantagem. O senador tucano registrou 16% das intenções de voto. Pastor Everaldo, do PSC, marcou 1,3%.

SEGUNDO TURNO

Numa simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a ex-senadora seria eleita com 43,7% dos votos, contra 37,8% de Dilma. A candidata do PSB também venceria Aécio, com 48,8% dos votos, contra 25,2% do tucano. Já em um embate entre a petista e Aécio Neves, a presidente seria eleita com 43% dos votos, dez à frente de Aécio, que teria 33,3%.

REJEIÇÃO

De acordo com o levantamento, Dilma é a candidata mais rejeitada pelos eleitores, com 45,5%. Aécio Neves aparece em seguida, com 40,4%. Marina Silva, por sua vez, é rejeitada por 29,3% do eleitorado.

FIDELIDADE

Apesar da rejeição, Dilma Rousseff é a candidata, entre os três, que possui maior fidelidade do eleitorado – 23,5% disseram que votariam apenas na petista. No caso de Aécio, esse percentual cai para 8,1%, enquanto a fidelidade a Marina fica em 17,2%.
Na pesquisa de abril, ainda com Eduardo Campos na disputa, Dilma registrou 37% das intenções de voto, contra 21,6% do tucano Aécio Neves e 11,8% do então candidato do PSB. O levantamento divulgado hoje foi o primeiro do instituto após a morte do ex-governador de Pernambuco e com Marina Silva à frente da candidatura do PSB.
O levantamento foi realizado entre os dias 21 e 24 de agosto. A MDA fez a pesquisa com o nome de Marina Silva entre as opções de voto um dia depois da oficialização da candidatura da ex-senadora à presidência pelo PSB. O instituto afirma que 72,9% dos 2.002 entrevistados disseram que a decisão do voto é definitiva.

Debate da Band: 10 observações

Confrontos diretos entre os principais candidatos e participações surpreendentes dos demais marcaram o 1º debate entre os presidenciáveis para as eleições 2014
 
Band realizou primeiro debate entre presidenciáveis em 2014 (Imagem: Pragmatismo Político)
 1) Dilma apanhou de todos os lados. Bateu em Aécio e poupou Marina, que não a poupou.
De uma maneira geral, se defendeu bem, o que mostra que se preparou para a pancadaria generalizada.
2) Aécio foi Aécio e mais três: os jornalistas da Band, José Paulo de Andrade, Boris Casoy e Fabio Panuzio.
As perguntas deles continham invariavelmente críticas a Dilma e oportunidades para Aécio vender seu peixe. Foram torcedores muito mais que jornalistas.
(Veja aqui a narração do debate da Band por Pragmatismo Político)
3) Aécio escolheu por onde vai tentar brecar Marina: dizendo que ela é uma “aventura”, um “improviso”.
A verdadeira mudança, segundo ele, é ele mesmo.
4) Aécio vê um Armínio Fraga que só ele vê. Nas suas considerações finais, Aécio anunciou Fraga como ministro da Economia com o ar triunfal de um técnico que estaria comunicando a aquisição de Messi.
5) Marina mostrou quanto respeita Neca. Os óculos vermelhos com os quais se apresentou no debate chamaram a atenção de todos.
Neca não parece ter apreciado muito. Da plateia, acenou para que Marina os tirasse, e foi obedecida.
6) Marina, como se diz no futebol, está de salto alto, mascarada, por conta das pesquisas.
Parecia pairar acima do bem e do mal, ou pelo menos acima de Dilma e Aécio, ao renegar a polarização PT X PSDB.
7) O Pastor Everaldo não tem noção das coisas. Numa pergunta sobre o futuro da energia, parecia aquele aluno que ao ver uma questão numa prova percebe que não estudou nada. Respondeu com seu repetido bordão sobre o Estado Mínimo, que lhe valeu o apelido de Pastor Neoliberal entre os internautas.
8) Eduardo Jorge, do PV, foi o Rei da Zoeira, com seu vozeirão, seu traje de cantor sertanejo e suas críticas “a tudo isso que está aí”.
“Aquele tio que fuma maconha e pede dinheiro emprestado pra tua avó”, na definição de um internauta no Twitter.
9) Levy Fidelix frustrou os internautas ao deixar de falar no mítico “aerotrem”.
Comparado ao baixinho da Kaiser e ao Senhor Spacely, parecia, como o Pastor Everaldo, perdido no tempo e no espaço.
10) Luciana Genro pode se tornar um bom quadro da esquerda, se for mais pragmática. Sublinhou a semelhança entre o programa econômico de Aécio e de Marina, falou na necessidade de taxar as grandes fortunas e, em seu melhor momento, notou que o jornalista José Paulo de Andrade não entendeu nada dos protestos de junho passado.

Fonte: Paulo Nogueira, DCM / Pragmatismo Político

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Ibope: Dilma 34%, Marina 29% e Aécio 19%

Nova pesquisa Ibope: Marina Silva avança, encosta em Dilma Rousseff e deixa Aécio Neves cada vez mais distante do segundo turno
 Nova pesquisa Ibope para as eleições 2014 apresenta reconfiguração de cenário (Imagem: Pragmatismo Político)
A nova pesquisa Ibope para a eleição presidencial de 2014 apresenta mudanças significativas e pretende chacoalhar o cenário eleitoral nos próximos dias.
A presidente Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, se manteve na liderança, com 34% das intenções de votos, mas viu sua vantagem em relação ao adversário mais próximo diminuir com uma velocidade inesperada. Marina Silva, do PSB, atingiu a marca de 29%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, encontra-se estagnado com 19%.
Não há empate técnico na pesquisa, porque Marina poderia atingir no máximo 31% e Dilma no mínimo 32%. A margem de erro do levantamento é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 25 de agosto.
Na última pesquisa Ibope, divulgada em 7 de agosto e com o nome de Eduardo Campos ainda presente, Dilma tinha 38%, Aécio 23% e Campos 9%.

Veja os números da pesquisa estimulada com os 11 presidenciáveis:


 - Dilma Rousseff (PT):34%
- Marina Silva (PSB):29%
- Aécio Neves (PSDB): 19%
- Pastor Everaldo (PSC): 1%
- Luciana Genro (PSOL): 1%


Eduardo Jorge (PV), Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Mauro Iasi (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) não chegaram individualmente a 1%, mas todos juntos somaram 1%. 



Brancos e nulos representam 7% do eleitorado e outros 8% ainda não sabem em quem votar. A soma de todos os adversários de Dilma é de 51%, 17 pontos a mais do que os 34% de intenções de votos da atual presidente.
Na tarde de hoje a revista Veja especulou, sem sucesso, o resultado da pesquisa Ibope (veja aqui).

SEGUNDO TURNO
Nas simulações de segundo turno, Marina Silva seria eleita com 45% dos votos, contra 36% da atual presidente Dilma Rousseff. Neste cenário, 11% de eleitores encontram-se indecisos e outros 9% anulariam o voto. Contra Aécio Neves, a presidenciável do PT seria reeleita: 41% a 35%. Neste caso, mais eleitores anulariam o voto e não saberiam em quem votar: 12% para as duas alternativas.

PESQUISA ESPONTÂNEA
Na pesquisa espontânea, aquela em que os nomes dos candidatos não são apresentados ao entrevistado, Dilma aparece com 27%, seguida por Marina Silva, com 18% e Aécio Neves, com 12%.

REJEIÇÃO
Marina Silva é a candidata menos rejeitada entre os três primeiros colocados. A candidata do PSB tem 10% de rejeição. Aécio Neves, em seguida, tem 18% e Dilma Rousseff é rejeitada por 36% do eleitorado.

Homenagem a Eduardo Campos em um texto perfeito.


"Não fui ás ruas pelo falecimento de Getúlio, não vesti luto pela morte inesperada de Tancredo, muito menos acompanhei o cortejo que levava o corpo de Juscelino. Coube a minha geração acompanhar cada episódio desse pelas páginas dos livros de história e as privilegiadas memórias dos avós. Agora, cabe a essa mesma geração, distante cronologicamente de tantos outros fatos, assistir consternada o aborto de um sonho, o enterro de uma esperança e uma emboscada do destino.
Eduardo nunca gostou do óbvio, detestava o comodismo e era genial no modo como ousava. Não tinha medo das consequências das suas escolhas nem das intuições do seu coração.Discurso forte, poético até na prosa, esperançoso, gentil e convincente. A luz das tribunas. A fé dos palanques.A esperança das multidões. Poucos políticos reúnem espírito público, carisma e senso administrativo. Eduardo era um mestre nos três quesitos.
Se Arraes foi grande porque foi maior que a sua causa e além do seu estado, Eduardo foi maior ainda porque morreu sonhando com os melhores dias para a pátria, despencou do maior voo da sua história - aquele que não admitia pouso. O verde dos seus olhos permanecerá nos Campos da nossa Zona da Mata e nos vales do Agreste pernambucano, a tônica forte dos seus discursos rondará a sequidão do Pajeú de Antonio Marinho e ocupará os ecos da Academia Pernambucana de Letras, ocupando o leito de Maximiano Campos.
Pernambuco jamais foi tão calado como ficou, Recife nunca tinha ficado tão escura como está agora.Eduardo foi perseguidor do seu sonho e dono da sua vaidade, de fazer mais e melhor. Não se escolhe a forma da morte, mas assim como Ulysses Guimarães, pai da nossa constituição cidadã, Eduardo imitou as aves e os gênios, se juntou as eles e morreu no ar.
Feliz foi Pernambuco por ter tido um gestor sensível, generoso, visionário e altamente talentoso. Triste é para o Brasil, sepultar a esperança da proximidade dos dias melhores e dos ideais mais justos. Se a política perde um talento, a humanidade sepulta um ser humano, a história trata de eternizar quem morreu já sendo maior que ela.
Nunca tive dúvida que o mundo pertence aos grandes sonhos e a história aos grandes homens, por isso mesmo Eduardo foi do mundo e é da história. Na "Piedade" do pranto que começa com uma "viagem" nada "boa", alcançamos o nordeste e nos irmanamos com a do Brasil que antes de conhecer o talento do sempre governador da Nova Roma, perde um guerreiro disposto a todas as trincheiras que envolvessem melhores dias para a nação.
Difícil é tratar dos fatos sem dimensionar a amplitude da dor. Impossível é compreender os desígnios de Deus e improvável é não lamentar a queda em vôo livre de milhões de sonhos brasileiros, na mais patriota de todas as convicções.
Pernambuco sepulta um filho no ventre da imortalidade, o Brasil aborta uma esperança, uma geração perde o mais forte nome, e as urnas ficam órfãs do verde olhar da esperança."
Fonte: Autor desconhecido.

sábado, 23 de agosto de 2014

O PSB de Itapetinga apresenta candidatos

P A R T I D O  S O C I L I S T A  B R A S I L E I R O 
I T A P E T I N G A – B A


O PSB de Itapetinga apresenta e pede o voto da comunidade local e regional para os candidatos: Manassés nº 40.190 - Dep. Estadual e Capitão Tadeu nº 4010 - Dep. Federal, junto com Eliana Calmon nº 400, Senadora. Lídice nº 40, Governadora e Marina 40, Presidente.


Todos os nossos candidatos são originários do PSB 40, obedecendo a lei de fidelidade partidária. PSB vota em candidatos do PSB. Eleitores de Itapetinga e região sejam responsáveis pela mudança no comportamento dos políticos, vote em partidos que não comercializam apoios.


Ascom: PSB de Itapetinga.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Marina Silva diz que trajetória de Eduardo Campos não pode ser esquecida

Na foto, Marina na missa de sétimo dia de Eduardo Campos em Brasília / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Na foto, Marina na missa de sétimo dia de Eduardo Campos em BrasíliaFoto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
A ex-senadora Marina Silva destacou nesta terça-feira (19) a importância do ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência pelo PSB, Eduardo Campos, para a política brasileira. Marina disse que a trajetória de Campos não deve ser esquecida com a morte dele, mas incorporada como um legado pelos que acreditam nas bandeiras defendidas por ele.
“[Eduardo foi] um homem que, mesmo diante da descrença do seu compromisso de que ia trabalhar para renovar a política, não se rendeu às criticas e continuou com a sua bandeira empunhada e até o último momento, pediu que não desistíssemos de lutar pelo Brasil. Um Brasil com justiça social, democracia, com respeito ao meio ambiente, um Brasil onde a política continue sendo a arte de lutar por um bem comum”, destacou.
Marina participou da missa em homenagem a Campos na Catedral de Brasília, que reuniu políticos de vários partidos e autoridades. A ambientalista é a mais cotada como sucessora de Campos na chapa presidencial da coligação União para o Brasil. A decisão será anunciada amanhã (20) durante reunião da Executiva Nacional do PSB, em Brasília.
Segundo Marina, que não respondeu a perguntas dos jornalistas sobre os rumos que a campanha deve tomar daqui para frente nem sobre o nome do candidato a vice-presidente que vai compor nova chapa, lamentou que os ideais de Eduardo Campos tenham se tornado conhecidos “ao preço de tamanho sacrifício e tamanho aperto”.
Emocionada, Marina disse que os que caminhavam com Campos continuam juntos e pediu que a trajetória do ex-governador de Pernambuco seja levada adiante, para que seja tratada “como um legado, em que quanto mais pessoas puderem se apropriar dele, maior ele fica”.
Segundo lideranças do PSB, Marina deve assinar, nos próximos dias, uma carta reafirmando os compromissos feitos com Eduardo Campos à época da formação da aliança para a disputa presidencial.
O vice-presidente da República, Michel Temer, disse que foi à celebração para prestar uma homenagem ao ex-governador. “Todos rezaram para guardar no seu coração a memória desse grande homem público que foi Eduardo Campos.
 
Fonte: Da Agência Brasil

Na sede do PSB no Recife, Roberto Amaral anuncia oficialmente nova chapa com Marina e Beto Albuquerque


84400311bc43118e734fb5572be4d754

Por Jamildo Melo
O presidente Nacional do PSB, Roberto Amaral, anunciou, na sede do PSB no Recife, após encontro com lideranças locais, o nome de Marina Silva como candidata da aliança PSB-Rede em substituição ao nome de Eduardo Campos.
No mesmo evento, Amaral confirmou o nome de Beto Albuquerque como candidato a vice, conforme antecipou o Blog de Jamildo, nesta segunda.
Além do prefeito do Recife, Geraldo Júlio, também participou da reunião o candidato ao governo do Estado pela Frente Popular, Paulo Câmara.
No encontro, os líderes nacionais acertaram ainda que o lançamento oficial da nova chapa será realizada aqui no Recife, no próximo sábado ou domingo, com a presença de Marina e Beto Albuquerque. A escolha do local é uma deferência especial a Eduardo Campos.
Quais as razões para a sua escolha?
Ele também tem uma boa relação com Marina, ao contrário de Roberto Amaral. Quando Eduardo Campos morreu, ele foi o único que Marina Silva recebeu em São Paulo.
Elas são sentimentais, mas sobretudo pragmáticas.
Beto Albuquerque era vice-presidente do PSB e um dos três homens que formavam o tripé de confiança de Eduardo Campos.
Os outros dois eram Márcio França e Roberto Rollemberg.
O primeiro é candidato a vice na chapa de Geraldo Alckmin, com boas chances de vitória, já que o tucano está liderando as pesquisas.
Rollemberg é candidato a governador no Distrito Federal, com boas chances de ir ao segundo turno com o petista Agnelo Queiroz, considerando que o candidato do PR, Roberto Arruda, impugnado, deve ser retirado da disputa pela Justiça Eleitoral.
Outro motivo que tira o senador das especulações é o fato da candidatura bem ser uma das prioridades de Eduardo. A capital do Brasil tinha um gosto especial para Campos, pois foi lá que ele viveu durante 12 anos e exerceu três mandatos como deputado federal.
Já o deputado federal gaúcho Beto Albuquerque é candidato ao Senado, com 10% das intenções de voto. Com a sua oficialização, o jogo político no Estado do Rio Grande do Sul será alterado. A sua retirada da disputa gaúcha, assim, seria plenamente justificada, em função de uma disputa maior.
Também pesa a favor de Beto Albuquerque o tempo de militância dentro do PSB. Ele filiou-se nos anos 80 e concorda sem restrições aos posicionamentos de Eduardo Campos.
Foi o deputado Beto Albuquerque que escreveu e fez a resposta à nota publicada no perfil do PT, no Facebook, dizendo que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), não tinha credibilidade política e se referindo ao socialista como playboy mimado pelo “lulo-petismo”, Na época, o líder do PSB na Câmara dos Deputados, rebateu às críticas classificando-as como “covardes e despolitizadas”.
396d13f76cd74e0fbbadd6c031429df6
Após a coletiva, Beto Albuquerque dirigiu-se a paróquia de Casa Forte, onde acompanhou a missa de sétimo dia realizada pela família Campos.
 Fonte: 

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Vídeo feito pela esposa e filhos de Eduardo Campos para o Dia dos Pais, que este ano foi no dia do seu aniversário.


Pronunciamento Coligação Unidos pelo Brasil

"Não vamos desistir do Brasil." A frase, dita por Eduardo Campos na véspera do acidente que o vitimou, expressa o testemunho e o desejo de um brasileiro que pautou sua vida pelo anseio de ver a nação unida em torno de um projeto que contemple a melhoria de vida de todos os seus cidadãos. Embalava, no presente, o mesmo sonho que alimentou a trajetória de seu avô Miguel Arraes ou, como ele mesmo dizia carinhosamente, do Dr. Arraes.
Interrompeu-se hoje o caminho de um homem que acreditava na renovação da política pela força do povo brasileiro em escrever o seu destino. Morre Eduardo Henrique Accioly Campos, mas fica o seu legado de luta pelos ideais de um Brasil mais democrático, próspero, solidário, sustentável e justo socialmente.
A Coligação Unidos pelo Brasil acredita que a perda de Eduardo encerrou sua vida, mas não seus ideais. Fica a semente da esperança que move diariamente os brasileiros criativos e empreendedores, capazes de transformar em virtuoso seu duro cotidiano.
A Coligação Unidos pelo Brasil se solidariza com a dor irreparável das famílias de Eduardo Campos e de seus companheiros Pedro Valadares, Carlos Percol, Alexandre Severo Gomes da Silva, Marcelo Lyra, Geraldo da Cunha e Marcos Martins. O momento é de luto e impõe o necessário recolhimento.


Santos, 13 de agosto de 2014.
COLIGAÇÃO UNIDOS PELO BRASIL

PSB, REDE SUSTENTABILIDADE, PPS, PPL, PHS, PRP, PSL

Depoimento de Marina Silva

"Quero pedir a Deus que sustente a Renata, ao Zé, ao João, a Duda, o Pedro, o pequenino Miguel e a todos os familiares dos companheiros de Eduardo Campos. Esta é, sem sombra de dúvida, uma tragédia. Uma tragédia que impõe luto e muita tristeza. Eu sei que os brasileiros estão compartilhando com cada um de nós e principalmente com sua família, com seus amigos e conosco.
Durante esses 10 meses de convivência aprendi a respeitá-lo, admirá-lo e a confiar nas suas atitudes e nos seus ideais de vida. Foram 10 meses de intensa convivência e, como eu disse, começamos a fiar juntos principalmente a esperança de um mundo melhor, de um mundo mais justo.
Eduardo estava empenhado com esses ideais até os seus últimos segundos de sua vida e a imagem que eu quero guardar dele foi a da nossa despedida de ontem – cheio de alegria, cheio de sonhos, cheio de compromissos.
É com esse espírito que eu peço a Deus que possa sustentar sua família, consolar sua família e também a todos nós."

                                         Marina Silva

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Jacques Wagner: coveiro do progressismo na Bahia.



Na eventualidade de uma vitória para governo do estado de Paulo Souto a grande maioria das cidades baianas não precisará trocar o comando dos órgãos públicos estaduais como: DIREC, DIRES, DETRAN, PAT, CSU, DERBA... , e também desfazer nenhum convênio na área de saúde e outros prestadores de serviço ao estado.
Em Itapetinga esse crime contra as esquerda é mais aviltante. Todos os órgãos públicos estaduais são preenchidos por carlistas da ARENA ao PFL/DEMO, distribuídos por várias siglas partidárias conservadora. Asseclas do governador Wagner articulou a entrada do segurança do gabinete de ACM, então governador, no PT aqui no município, o representante do carlismo e dos fazendeiros, José Carlos Moura. Foi eleito. Na formação do secretariado municipal o prefeito só convidou um petista originário para compor sua administração; o mesmo pediu demissão seis meses depois.
Imaginando que seria uma particularidade de Itapetinga, deparamos com uma prática imunda do governo Wagner em lotear os cargos públicos com carlista de quarto costado, que traísse momentaneamente seu grupo (PFL/DEMO), nas secretarias e órgãos públicos do governo.  Essa prática do forasteiro, Jacques Wagner foi o inverso e impiedoso com as esquerdas no município (PT, PCdoB). Demitiram petistas e comunistas de chefia de órgãos estaduais pelo diário oficial, sem mesmo informar do fato ao demissionário, que foram surpreendidos pela imprensa com suas exonerações.

Hoje em plena campanha para o governo do estado observamos como essa prática é danosa para o futuro progressista da Bahia. Hospitais entregue a administração de fundações em pacote de compra e venda de apoio político, estão fazendo campanha descaradamente para Paulo Souto e Geddel, inclusive dentro das dependências das unidades de saúde. Com lideranças lotadas nessas unidades que se refere ao governo do PT de “quadrilha petista”, utiliza prática de triagem para o atendimento a pedido de políticos ligados a Paulo Souto nessas unidades de saúde

ESTÃO À MOSTRA EM TODAS AS PRAÇAS E AVENIDAS DE ITAPETINGA.






Com as atrapalhadas do petismo na Bahia, visando só o mercantilismo político no estado, principalmente quando enfia goela abaixo um candidato inexpressivo que não unifica as esquerdas num mesmo projeto eleitoral. Assim como não unifica o governo onde os secretários estaduais deixam “souto”  seus aliados fazendo campanha abertamente para Paulo  Souto, como Antônio Brito na foto acima. Só no resta à esperança e o desejo que essa oferenda volte urgente para o mar da Guanabara: Wagner o coveiro das esperanças do povo baiano.